‘Wine bar’ é nova atração nos edifícios de alto luxo

Espaço para degustação da bebida, cartas assinadas por enólogos e adegas profissionais ganham projetos sofisticados nos condomínios   Por Valor […]

Por
Em 1 de julho de 2022

Espaço para degustação da bebida, cartas assinadas por enólogos e adegas profissionais ganham projetos sofisticados nos condomínios

 

Por Valor Econômico, Imóveis de Valor

A definição de alto padrão nos novos empreendimentos imobiliários de luxo do país não se limita mais a qualidade dos acabamentos, tamanho das plantas ou a localização privilegiada. Há um novo ingrediente nessa receita: o vinho. Para se alinhar ao “novo normal” do morar, as incorporadoras têm investido em áreas de lazer que incluem diversas opções, inclusive os wine bars: dedicados exclusivamente para a degustação da bebida no próprio condomínio.

A proposta vem bem a calhar. Segundo pesquisa da Drinks Market Analysis Limited (IWSR), empresa voltada à análise do mercado de bebidas alcoólicas, o consumo de vinhos no Brasil aumentou 28% em 2020 na comparação com 2019. A decisão dos players imobiliários não se baseou nesse dado, já que a bebida passou a fazer parte do menu do público de alta renda brasileiro há décadas. Mas o momento é oportuno.

“Espaços como esses podem ser fatores decisivos na hora de comprar um apartamento. Em alguns casos, a oferta dessas áreas diferenciadas é tão importante quanto o endereço e a metragem do imóvel”, explica Luciano Amaral, diretor-geral da Benx Incorporadora, proprietária do complexo multiúso Parque Global, na Zona Sul da capital paulista.

No empreendimento, os futuros moradores das cinco torres residenciais terão acesso a dois luxuosos wine bars, projetados pelo escritório de arquitetura italiano Archea Associati, o mesmo da premiada vinícola Antinori, na Toscana (ITA). Um deles terá piano de cauda e uma escadaria cinematográfica. E em outra sala mais intimista será permitido armazenar garrafas e promover encontros.

Para criar as cartas de vinhos dos condôminos, as empresas têm fechado parcerias com profissionais. No Parque Global, a escolha dos rótulos World Wine ficará a cargo de Manoel Beato, sommelier do Fasano.

No edifício Signatur, da Tarjab Incorporadora, uma parceria com a Evino prevê sugestões de rótulos para as adegas climatizadas do espaço gourmet e dicas de harmonizações. “O segmento imobiliário é extremamente competitivo, e precisamos inovar sempre”, diz o diretor Comercial Giovanni Grossi.

Degustar vinhos exclusivos é uma oportunidade de confraternização para o comprador de imóveis de alto padrão. É a aposta das incorporadoras Requadra — Desenvolvimento Imobiliário, Engetécnica, Tavitec e Jiral, com duas torres no bairro de Pinheiros. Em uma delas, a AG Art Residences, foi construído um wine lounge com design de interiores assinado por Dado Castello Branco, que pretende ser o ponto de encontro entre vizinhos amantes do vinho.

“O espaço é um pretexto para estimular o relacionamento entre pessoas que, em geral, conhecem as vinícolas e gostam de confraternizações”, acredita Marcos França, diretor Comercial da Requadra.

Mas a moda do wine bar não é privilégio dos paulistanos. No condomínio carioca Font-Vieille, no Península, da Carvalho Hosken, na Barra, os moradores que apreciam um bom rótulo têm acesso a uma cave climatizada, projetada especialmente para armazenar garrafas de vinho dos moradores.

A tendência dos wine bars tem crescido não apenas aqui no Brasil. De acordo com reportagem do The Denver Post, um estudo do Wine Institute mostra que os Estados Unidos estão entre os maiores consumidores de vinho per capita do mundo — o que tem valorizado as salas de vinhos e adegas no mercado imobiliário.

O site de imóveis Realtor revelou que os compradores com renda a partir de US$ 150 mil têm mais probabilidade de ver valor agregado em propriedades com wine rooms. Segundo a plataforma, 31% apontaram a adega como uma das comodidades mais desejadas.

 

 

Áreas para hobbies valorizam empreendimentos

 

Garagem equipada para cuidar de carros, horta comunitária, salas de cinema e até livraria são novos diferenciais que podem impactar o valor dos imóveis

O lazer está se sofisticando e ganhando novas opções de entretenimento nos condomínios de alto padrão. Mais do que entreter os moradores, esses espaços tornaram-se cobiçados e valorizam o empreendimento como um todo.

Em São Paulo, o edifício Brooklin 90, da Benx, mirou no público cinéfilo e oferecerá um home cinema, com sistema de som e projeção de alta definição. O morador poderá reservar o ambiente para assistir a seus filmes preferidos em sessões privadas e com todo o conforto.

No Signatur, da Tarjab, uma biblioteca compartilhada, com curadoria da Livraria Cultura, propõe momentos de relaxamento aos pais, enquanto os filhos se divertem na sala de jogos eletrônicos e no estúdio de audiovisual pensado para os adolescentes que curtem fazer lives.

No Rio, o Playa Exclusive Residences, projeto de alto padrão lançado na Barra pela Avanço Realizações Imobiliárias, foi planejado para agradar a amantes de carros. Cada um dos 21 apartamentos terá a sua Design Garage, equipada com tomada para veículos elétricos, calibrador de pneus e car wash.

Já o condomínio Jardim Botafogo, empreendimento da incorporadora Performance com a Opportunity FII, oferece o Complexo Botanic: um bosque privado com espaço de jardinagem e horta coletiva, planejada para plantio de frutas, legumes e hortaliças. “Muitas pessoas querem fazer tudo onde moram e sair o mínimo possível, em função da comodidade e da segurança”, explica Carolina Lindner, diretora Comercial da Performance.

Para Marcello Romero, CEO da Bossa Nova Sotheby’s, a demanda por espaços para hobbies é real. “Condomínios que têm áreas para que os moradores possam socializar e relaxar sem dúvida são bastante desejados pelo consumidor. Isso traz valor percebido”, diz ele.

Matéria publicada originalmente no jornal Valor Econômico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.